Projeto transforma escolas em equipamentos culturais

RIO – A Escola Municipal Desembargador Montenegro, em Vila Kosmos, se tornou uma espécie de centro cultural para professores e estudantes depois que passou a receber o Ocupa Escola, projeto que tem como função capacitar instituições da rede pública de ensino para atuarem como equipamentos culturais.
Desenvolvida pela ONG Arte de Educar, a iniciativa atua em outras quatro escolas da região, levando oficinas de arte e programação cultural para a comunidade.

 

De acordo com Fátima Verônica, coordenadora do Ocupa Escola, as unidades selecionadas para abrigar o projeto priorizaram áreas de risco social e reduzido acesso à cultura.

 

— A escola já é um dos mais bem-sucedidos equipamentos culturais, pois conta com um público diário e fiel e está inserida na vida dos jovens. Além disso, suas instalações, ao contrário de museus e teatros, estão bem distribuídas pelo território da cidade, o que favorece as atividades — complementa.

 

O Ocupa Escola é voltado a crianças, adolescentes e adultos que estudam nos três turnos da Desembargador Montenegro. Yuri de Moraes, de 18 anos, morador de Brás de Pina, é aluno do 9º ano do ensino fundamental, e participa duas vezes por semana das oficinas de dança de rua com o grupo New Way Street, companhia selecionada para integrar o projeto. O jovem afirma que sempre encontrou dificuldades para frequentar academias de dança na região.

 

— As poucas que eu achava eram todas muito caras. É bom ter essa oportunidade aqui na escola. Aproveito e faço uma atividade física também — comemora.

 

Aluna do 5º ano, Vitória Cristina, de 11 anos, aprova a iniciativa de trazer atividades de diferentes grupos para dentro da escola:

 

— Eu posso expressar o que sinto através da dança, e ter isso dentro da minha escola é muito bom. Agora a gente tem mais contato com diferentes formas de cultura, o que não ocorria antes — compara.

 

Diretora da escola, Márcia Barroso é enfática quanto aos benefícios do Ocupa Escola na educação e no desenvolvimento dos alunos:

 

— Com relação ao ensino, eles levam para dentro da sala de aula uma nova linguagem. O vocabulário melhorou muito e os alunos agora possuem outros tipos de fala. O desempenho escolar e as notas melhoraram porque há algo a mais para eles. Alguns até se dedicam mais aos estudos porque acham que podem ficar de fora do projeto se as notas estiverem baixas.

 

Além das oficinas realizadas durante a semana, a cada 15 dias (sempre aos sábados), os portões da escola são abertos para a comunidade, que pode assistir a apresentações de teatro, dança e malabarismos, assim como a shows de jazz e reggae de grupos da região.

 

— Aqui não tem muita opção de cultura. Então, os alunos abraçaram mesmo a ideia. Ele passam o sábado todo aqui na escola. A vizinhança assiste a tudo das janelas dos prédios que ficam no entorno — diverte-se Márcia.

 

 Crianças da escola municipal Desembargador Montenegro dançam durante aula de oficina Foto: Leo Martins/ Agência O Globo

Crianças da escola municipal Desembargador Montenegro dançam durante aula de oficina Foto: Leo Martins/ Agência O Globo

 

Ocupa Escola capacita instituições públicas em locais com pouca opção de lazer

 

Fonte: Jornal (GLOBO.COM)

Deixe uma resposta