Foi totalmente devastador”: mãe perde filho e expõe dor em ensaio fotográfico

De forma sensível, americana reuniu diversos pais com histórias distintas para tirar as fotos e alertar sobre a importância de se falar sobre o aborto

O bebê da fotógrafa americana Susana Butterworth iria se chamar Walter, porém foi diagnosticado com trissomia 18, uma doença genética que pode causar diversos problemas de saúde, e, ao completar 36 semanas de gestação, o pequeno não resistiu.  Depois de passar por esse trauma de perder um filho prestes a dar à luz, ela decidiu realizar um comovente ensaio fotográfico para mostrar o vazio que os pais sentem ao encarar uma situação como essa.

“Foi totalmente devastador para dizer o mínimo”, afirma a idealizadora do ensaio fotográfico ao portal britânico “Huffington Post”. “Eu me senti tão sozinha e isolada. As pessoas ao meu redor não queriam falar sobre a minha perda porque não queriam me ver chorar. Na realidade, provavelmente isso teria sido algo bom para mim naquele momento”, acrescenta.

Após passar por essa experiência de isolamento, a fotógrafa sentiu a necessidade de quebrar o silêncio e mostrar que é preciso tocar no assunto. Para isso, criou o projeto “Empty Photo Project” (Projeto da Foto Vazia, em tradução livre) no qual ela fotografa pais que perderam um filho e para simbolizar a dor, pediu para as pessoas colocarem um espelho na frente da barriga. Na edição, substitui o reflexo pela continuação da paisagem, dando a sensação de que ali existe um buraco.

Os locais escolhidos para as fotos tem um significado especial para a pessoa que perdeu o filho
Reprodução/Susana Butterworth

Os locais escolhidos para as fotos tem um significado especial para a pessoa que perdeu o filho

Cada um com sua história

As pessoas selecionadas para as fotos deixaram de ser pais ou mães por motivos variados, como morte uma fetal, aborto espontâneo, infertilidade, morte infantil ou adulta por acidente ou uma causa natural, separação familiar e outras tristes experiências. Além das fotos, Susana também publica a história daquela pessoa fotografada em seu site, Instagram e Facebook.

 

O perfil das pessoas que participaram foi bem variado, cada um possuía uma história de perda
Reprodução/Susana Butterworth

O perfil das pessoas que participaram foi bem variado, cada um possuía uma história de perda

“Todas as imagens são tiradas em um local significativo para a história daquela pessoa, processadas e editadas no Photoshop para criar a ilusão de vazio”, explica a americana. Ela acrescenta que é através das redes sociais que encontra a maioria das pessoas que desejam ser fotografadas e é justamente nesse espaço de interação virtual que as fotos ganharam repercussão.

Dando voz aos pais

A fotógrafa afirma que está feliz com esse resultado positivo e que se sente bem por saber que o trabalho que faz está tocando as pessoas de alguma forma. “As pessoas me agradeceram por esse projeto. Ele criou uma espécie de cura para esse vazio”, expõe. Susana conta que ouviu de alguns participantes que isso os ajudou a falar sobre a dor da perda, algo que eles nunca tiveram a chance.

A fotografa também quis mostrar a dor dos homens que sofrem com a perda de um filho
Reprodução/Susana Butterworth

A fotografa também quis mostrar a dor dos homens que sofrem com a perda de um filho

Leia também: Em vídeo emocionante, pai mostra reação de filho autista em show do Coldplay

O maior desejo da americana é que o ensaio fotográfico ajude a quebrar o estigma em torno da perda de um filho. “Quero que as pessoas percebam que a perda de criança pode acontecer com todos e essa deve ser uma conversa que os pais precisam ter. Aqueles que perderam um filho não devem se sentir sozinhos nesse momento de fragilidade ou como se estivesse carregando um fardo”, finaliza.

Fonte: Delas – iG @ http://delas.ig.com.br/filhos/2017-10-28/ensaio-fotografico-perda-filho.html