Alerta vermelho para o coração da mulher: cardiologista destaca maior risco para elas

Por Nabil Ghorayeb — São Paulo

 

Sim lógico, todo dia deve ser “Dia da Mulher” e, assim sendo, exigimos que seus direitos sejam respeitados no trabalho, igualando seus proventos e conquistas aos de um homem nas mesmas tarefas; no respeito à suas escolhas afetivas, punindo com rigor toda a agressão física e moral que infelizmente assistimos todos os dias na mídia. E, principalmente, alertá-la de que sua saúde está ligada diretamente aos seus hábitos de vida, que na maioria das vezes só depende dela mesma.

A Dra. Marcia Barbosa, do Departamento de Cardiologia da Mulher da Sociedade Brasileira de Cardiologia, nos informa que “uma em cada três mulheres morre de doença cardíaca. O coração mata sete vezes mais mulheres que o câncer de mama”. Além dessas importantes informações do grande risco para elas, incentive as mulheres a usarem vermelho no dia 8 de março, dia Internacional da Mulher, sinal que será usado em todo o mundo como Alerta Vermelho para o Coração da Mulher. Publique sua foto vestida de vermelho com a #alertavermelhoparaocoraçãodamulher.

– A Sociedade de Cardiologia sugere que você convide suas amigas, filhas, mães, irmãs, avós, tias, sobrinhas, primas, cunhadas, vizinhas e sogras para participarem e divulgarem este evento mundial. Vamos colorir as ruas de todo o Brasil de vermelho. Vamos cuidar dos nossos corações, e umas das outras – alertou a Dra. Marcia.

Uma em cada três mulheres morre de doença cardíaca — Foto: Getty Images

Uma em cada três mulheres morre de doença cardíaca — Foto: Getty Images

De nossa parte, informamos os dados estatísticos médicos de que a principal causa de morte da mulher brasileira é o AVC (Acidente Vascular Cerebral), na maioria das vezes consequência da hipertensão arterial não tratada regularmente e, como segunda causa, o infarto do miocárdio e suas complicações mais comuns. Em seguida vem o câncer de mama.

A prevenção dessas doenças, como já foi dito, começa pela modificação dos hábitos de vida, decorrentes do modo de ser da mulher, ou seja, ela com mais de uma tarefa diária que considera obrigação, a familiar e a profissional, cuida de todos e esquece de si. Alimentação inadequada, tabagismo, tratamento inadequado da hipertensão arterial e o famigerado sedentarismo com suas consequências, a obesidade e o diabete, que induzem às cardiopatias e suas consequências.

Resultado de imagem para mulher coração

Ao menos evitar excesso de gorduras e o açúcar, abandonar o cigarro são decisões possíveis de realizar. Iniciar treinamentos físicos três a quatro vezes por semana, ou então caminhar ou mesmo subir escadas sempre que possível, a estimulam a seguir com as outras mudanças. Vamos incentivar o Alerta Vermelho para vida longa e saudável.

*As informações e opiniões emitidas neste texto são de inteira responsabilidade do autor, não correspondendo, necessariamente, ao ponto de vista do Globoesporte.com / EuAtleta.com.

 Formado em medicina pela FM de Sorocaba PUC-SP, Doutor em Cardiologia pela FMUSP, chefe da seção CardioEsporte do Instituto Dante Pazzanese Cardiologia, especialista por concurso em Cardiologia e Medicina do Esporte, coordenador da Clínica CardioEsporte do HCor, CRM SP 15715, Prêmio Jabuti de Literatura Ciência e Saúde. (Foto: EuAtleta)

Formado em medicina pela FM de Sorocaba PUC-SP, Doutor em Cardiologia pela FMUSP, chefe da seção CardioEsporte do Instituto Dante Pazzanese Cardiologia, especialista por concurso em Cardiologia e Medicina do Esporte, coordenador da Clínica CardioEsporte do HCor, CRM SP 15715, Prêmio Jabuti de Literatura Ciência e Saúde.

Fonte: Eu Atleta